Colossenses 3. 12-17 - Prédica Batismal


(Prédica proferida em Tenente Portela-RS, por ocasião do batizado de Laura Eduarda, filha de Nestor e Marlei Schul – 30/12/2012)


      Observem estas duas caixas(*). 

        Há uma nítida e visível diferença entre elas (pra mim ao menos). As duas caixas têm o mesmo tamanho, mas são bem diferentes. A primeira é um simples pacote (um embrulho) destes que a gente encomenda, e os correios nos enviam. A outra é diferente! Tem algo especial. É um pacote de presente. Além de trazer alguma coisa para nós, também transmite carinho, afeição, amor, doação, alegria. As duas caixas nos ajudam a entender o texto bíblico de nossa prédica e auxiliam a interpretarmos o que é o Batismo para nossa vida.


       Conforme meu modo de ver e compreender, esta primeira caixa (embrulho, encomenda) não tem nada haver com o texto de Colossenses, muito menos com o Batismo. Ela é um pacote fechado e “meio sem graça”. Tudo bem que, quando a gente encomenda algo, ela pode trazer boas coisas. Traz aquilo que queríamos, mas precisamos pagar para receber. Se não comprar e pagar a encomenda, não a recebo. Ela não vem gratuitamente. Preciso fazer um enorme esforço e desembolsar alguma quantia em dinheiro para recebê-la.

       A segunda caixa (o presente), por sua vez, tem tudo haver com o texto e com o Batismo. Não recebo um presente porque mereço. Não posso conquistar um presente. É um gesto de carinho que alguém faz porque gosta de mim; porque tem sentimento de afeto e amor. É algo especial pensado exclusivamente para nós. Neste tempo de Natal e Ano Novo, dar e receber presentes são gestos de singela e sincera amizade.

       Assim, quando eu e você fomos batizados em nome do trino Deus, gratuitamente, Deus mesmo veio ao nosso encontro, por intermédio de Jesus Cristo, na ação do Espírito Santo e nos deu o maior de todos os presentes: presenteou-nos a graça da salvação!
       A mensagem do texto de Colossenses nos convida a receber alegremente o presente do Batismo em nossa vida e usufruí-lo (utilizá-lo) a cada dia de nosso viver. Se soubermos aproveitar a dádiva (o presente) que é o Batismo, então, dia-a-dia, estaremos crescendo em sabedoria, estatura e graça diante de Deus e da comunidade (Lc 2.52).
       Diz o texto que devemos nos reconhecer como pessoas que são amadas (justificação) e santificadas por Deus. E assim, nos revestirmos como filhos escolhidos e filhas escolhidas por Deus. Para entender isto temos que voltar no tempo:
       No Jardim do Édem, Adão e Eva foram criados por Deus e receberam uma dignidade e uma valorização que os fazia serem especiais para Deus (Gn 2.7). Infelizmente, eles não valorizaram e não vivenciaram esse amor divino. Caíram em pecado e começaram a cometer maldades. Quando se deram por conta de seus erros, perceberam que estavam nus. Estavam sem dignidade e sem valor. Adão e Eva, envergonhados, costuram folhas de figueira para tentar tapar sua vergonha.
       No Batismo, Deus conserta esse erro humano, nos presenteando uma veste de dignidade e valorização. Ele retira de nós o velho Adão; purifica-nos do pecado e da maldade, presenteando-nos uma veste de perdão e vida nova. Deus nos presenteia. Reveste-nos de sua graça e amor.
       Através do Batismo, revestidos com este presente amoroso de Deus, podemos desenvolver em nossa vida os carinhosos afetos da misericórdia, da bondade, da humildade, da mansidão e da longanimidade:
a)Ter misericórdia é o mesmo que ter compaixão. É importar-se e preocupar-se pelos outros. Ser solidário;
b)Ter bondade significa que além de ter compaixão é preciso agir e ajudar nossos irmãos e irmãs nas suas necessidades;
c) Ter humildade é saber que todos nós somos batizados. Todos recebemos o presente das mãos de Deus. Todos temos valor e dignidade semelhante. Na vida cristã ninguém é mais ou menos. Todos fomos presenteados por Deus;
d)Ter mansidão, segundo Lutero, “é a virtude pela qual alguém não se deixa provocar facilmente para a ira [...]”. Como pessoas batizadas, precisamos aprender isto de Jesus, porque Ele era manso e humilde de coração (Mt 11.29);
e)Ter longanimidade. Somente para dizer tal palavra já preciso ter paciência. Na vida de fé é preciso exercitar a paciência. Somente assim conseguiremos conviver em comunidade. Somente assim conseguiremos viver em paz conosco mesmos. Sobre a longanimidade (paciência) Lutero escreveu assim: “Quando o diabo não pode vencer os que são tentados pela força, ele os vence pela persistência, pois sabe que somos como vasos de barro que não podem suportar frequentes e contínuos golpes [...] Para vencer essa sua persistência é preciso longanimidade [...]”.
       Quando percebemos a importância do presente que Deus deu para cada um de nós, através do Batismo, então conseguimos conviver mais facilmente como irmãos e irmãs na fé. Conforme o texto, conseguimos nos suportar uns aos outros, bem como nos perdoar mutuamente. Quando aproveitamos diariamente o presente do Batismo, o amor de Deus se torna o critério base do nosso agir e a paz, que vem de Deus, conduz as nossas atitudes e os nossos relacionamentos; porque somos integrantes de um mesmo organismo: o corpo de Cristo (a Igreja, a Comunidade).
       Ainda em tempo, é importantíssimo destacar que para saber usufruir do presente que Deus nos dá no Batismo é extremamente necessário viver em Comunidade. É preciso participar da vida da comunidade. Não conheço, sinceramente, ninguém que consiga vivenciar os dons apontados neste texto sem conviver com outras pessoas na comunidade (na igreja).
       O autor do texto bíblico sabe muito bem disto, por isto exorta para que a Palavra de Deus habite ricamente em nós. Devemos nos instruir, nos aconselhar, louvar a Deus e ser gratos de coração. Ora, o texto é bem claro. Está dizendo: você recebeu o presente do Batismo. Vivencie este presente na sua comunidade. Participe dos cultos, vá aos estudos bíblicos, aprenda mais da Bíblia, ore, louve a Deus, cante hinos com muita alegria, seja uma liderança na comunidade, coloque-se a serviço do Evangelho...
       Aqui na paróquia, estamos buscando vivenciar e aproveitar o presente do Batismo. Nossos cultos, Encontros de Família, o Grupo de canto, tantas outras atividades e o Projeto Missão Criança são exemplos disto.
·            Querido Nestor, Marlei, padrinhos e madrinhas: assim como cada um de nós um dia foi presenteado por Deus no Batismo, de igual modo, hoje a pequena Laura Eduarda (a Laurinha) vai ser presenteada por Deus. Ela vai ser batizada e vocês têm a tarefa de instruí-la e orientá-la para valorizar, cuidar, aproveitar e saber usar de forma consciente a dádiva (o presente) do Batismo. Que Deus os abençoe nesta graciosa e sublime tarefa e compromisso! Que a Laurinha possa crescer em sabedoria, estatura e graça, diante de Deus e diante da comunidade cristã.
·            Estimada Comunidade, irmãos e irmãs, nós a cada dia de nossa vida precisamos recordar do presente divino que é nosso Batismo. Precisamos desenvolver as dádivas que recebemos. Que possamos participar da vida celebrativa da nossa comunidade para vivenciar a graça da salvação.
      E a todos nós, como diz o texto bíblico: em tudo o que fizermos, seja em palavra, seja em ação, façamos em nome do Senhor Jesus, para sua honra e glória, e sejamos agradecidos a Deus, o Pai. Amém!
                                                                                   Marcelo Peter 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente a postagem: