“Eu quero ‘chu’... eu quero ‘va’... eu quero chu chu va va...”

       Até perdi as contas de quantos dias passamos sem chuvas aqui na região noroeste do Rio Grande. O clima seco e o ar empoeirado há dias dificultam a respiração. No colégio percebemos que os alunos estão com tosse, alergias despontando e princípios de gripe alarmando pais e mães. Eu mesmo, em meio a minha rinite alérgica, estou aguentando o clima “feio” na base do “xarope”, porque o pulmão já não aguenta mais.
        Nas duas últimas noites nem conseguia dormir bem. Diversas vezes acordei por conta das dificuldades respiratórias. Os dois últimos dias foram complicadíssimos. Estava quase que insuportável trabalhar, estudar, respirar...

        Inspirado no hit “serta-nojo universitário” do momento, parodiávamos de forma unânime: “Eu quero ‘chu’... eu quero ‘va’... eu quero chu chu va va...”
        Para minha surpresa e alegria, nesta manha, por volta das seis horas da matina, fui acordado com o doce, agradável e gratificante som das gotas de chuva no telhado. Minha janela, de material metálico, ressoava a mais bela melodia que poderia querer ouvir. Como estou gripado, com dificuldades na respiração, não me arrisquei a “dançar na chuva”. Porém, durante o banho matinal, preparando-me para dar aula, sentindo o suave cheiro da terra molhada, dançava e cantarolava no chuveiro.
        Hoje pela manhã, no CERB (Colégio Evangélico Rui Barbosa) reiniciamos nossas meditações matinais, tanto com Ensino Fundamental, quanto com o Ensino Médio. No horário da noite faremos o mesmo com o Curso Técnico. Nesse momento de meditação e celebração foi maravilhoso e gratificante louvar e bendizer a Deus pela chuva. Como estamos carentes das águas celestes!
        Agora são 13h e 45min. Já não chove mais. O sol manifesta-se luminoso no céu. Agradecemos também pelos raios de sol que ajudam a germinar nossas lavouras, aquecem nossos corpos e irradiam vida. Contudo, clamamos e pedimos ao bondoso Deus por chuvas. Rogamos em oração por mais gotas benditas para regar a nossa vida, molhar nossas hortas e lavouras, e umidificar nosso ambiente. Amém!

Marcelo Peter